8 de nov de 2011

Aposta na TV e no Rádio

Diário do Pará

A Frente em Defesa do Pará e contra a Criação do Estado do Tapajós vai jogar todo o peso de sua campanha na TV e principalmente no rádio, como forma de chegar aos eleitores das regiões mais distantes.
Segundo o presidente da frente, deputado Celso Sabino, “a campanha está boa, a receptividade está excelente e nós estamos apostando muito no programa de TV e de rádio”.
A Frente pretende mostrar “a verdade dos fatos” de que a divisão do Estado “não vai beneficiar nenhuma região, só traz consequências nefastas”. O deputado afirma que pretende usar informações técnicas para derrubar os argumentos dos adversários. Segundo ele, o Pará precisa melhorar, mas não será com mais políticos em Brasília que isso vai acontecer. “Não precisamos de mais políticos, mas de políticos melhores”.
Ele afirma que o argumento de que vai aumentar o repasse do Fundo de Participação dos Estados e haverá mais recursos para serem investidos na região é uma balela porque o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional o artigo 2º da lei complementar que trata do assunto e o critério de distribuição dos recursos vai mudar a partir do ano que vem.
Sabino concorda que a campanha ainda está “morna” em Belém e se preocupa com a possibilidade de haver um alto índice de abstenção.
Ele disse que já alertou a Justiça Eleitoral para que incremente a campanha institucional do Plebiscito e esclareça melhor os eleitores da obrigatoriedade do voto.
A campanha da Frente, segundo ele, vai bater em duas teclas. Primeiro de que é preciso votar no não e segundo de que é preciso votar.
Palestras e debates para tirar dúvidas
A semana da Frente Contra a Criação do Estado do Carajás será de programação intensa no interior do Estado. Como ainda há muitas dúvidas envolvendo o Plebiscito, está sendo dada atenção especial a palestras e debates. Amanhã, o deputado federal Zenaldo Coutinho, que preside a Frente, estará em Parauapebas para um evento promovido pelo Campus Universitário do município. Será a segunda palestra do deputado em cidade localizada no Sul do Estado (ele já esteve em Tucuruí), uma das regiões onde há forte sentimento separatista. “Não creio que há motivo para temor. Ou a gente não pode mais andar pelo nosso Estado?”, diz, ao ser indagado se não teme reação mais violenta nessas cidades.
Até agora, a campanha tem sido morna, mas Coutinho diz que com o início da propaganda na TV, a disputa deve se intensificar.
No último sábado, 5, a Frente realizou debate com professores, lideranças políticas, empresariais e comunitárias no Parque de Exposições do município de Paragominas. Foi o lançamento da campanha do “Não” na cidade. No evento, Coutinho falou dos prováveis prejuízos que uma divisão do território traria. “No momento em que se dividir, algum parlamentar de um Estado vai querer ajudar o outro? Alguém já viu José Sarney trazer projetos para o Pará? Alguém já viu algum senador ou deputado do Tocantins ou de outro Estado garantir recursos para obras no Pará? Pelo contrário, há uma disputa fiscal entre os Estados”, disse. “Nós já temos uma Assembleia Legislativa com 41 deputados. Imaginem mais duas assembleias. Quem vai pagar essa conta? O povo. Serão cobrados mais impostos. Não tem mágica. Não vai cair dinheiro do céu”.

Um comentário:

Anônimo disse...

O Dep Zenaldo pode sim vir as regiões separatistas. Aqui ele vai poder falar, não é como Belém q os academicos impediam nossos representantes numa demonstração de irracionalidade e ignorancia. Nós só não vamos garantir é aplausos né? Aí seria peddir demais.
CARAJÁS JÁ!!