13 de abr de 2012

Pré-candidato do DEM a prefeito é preso com panfletos apócrifos


Encontra-se preso em Parauapebas, desde terça-feira (10), Adonei Sousa Aguiar, presidente do Partido Democrata (DEM) em Curionópolis e pré-candidato da legenda a prefeito do município. Junto com Adonei Aguiar foram presos, também, Francisco Aderbal de Oliveira, vice-presidente do DEM e Antonio Luiz, que é filiado ao partido.

Os três foram flagrados no final da tarde de terça-feira pela polícia de Curionópolis entrando na cidade com cerca de três mil panfletos apócrifos (sem assinatura), intitulados “Tirando a máscara”, com “conteúdo calunioso, injurioso e difamatório” contra o juiz da Comarca de Curionópolis, Claytoney Passos Ferreira; o delegado Thiago Carneiro Rodrigues; o promotor de Justiça da Comarca de São Félix do Xingu, cujo nome não foi revelado; o prefeito de Curionópolis, Wenderson Azevedo Chamon, o “Chamonzinho”; e contra a genitora deste, Ângela Azevedo Chamon.

Além do material impresso, foi apreendida, ainda, a quantia de R$ 6.705,00 em espécie no interior da camionete modelo S10, cor prata e placa JVW 5681-Parauapebas, que estava sendo conduzida pelos três homens. Os acusados foram abordados pela polícia na entrada da cidade de Curionópolis, quando chegavam de Parauapebas, onde mandaram imprimir os panfletos, que seriam distribuídos no distrito de Serra Pelada.

Os acusados foram autuados em flagrante delito na manhã desta quarta-feira (11) pelo delegado Antonio Miranda Neto, diretor da 20ª Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, pela prática de crime tipificado nos seguintes artigos do Código Penal Brasileiro: Adonei Aguiar: arts. 138, 139, 140, 141, 288 e 344; Francisco Aderbal: arts. 138, 139, 140, 141 e 288; e Antonio Luiz: arts. 138, 139, 140, 141, 288.

O advogado dos acusados é Flávio Aparecido Santos, o qual estava presente no momento da autuação, também acompanhada pelo juiz Líbio Araujo Moura, vice-presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Pará (Amepa).

Ouvido pela reportagem, o delegado Antonio Miranda explicou que o auto de prisão em flagrante do trio estava sendo encaminhado à Justiça e esta vai decidir se mantém ou não a prisão dos acusados. Caso a prisão seja mantida, cada um deles deve responder por pena que ultrapassa dez anos de reclusão.

Segundo o delegado, a informação sobre o transporte do material impresso oriundo de Parauapebas chegou à polícia de Curionópolis por telefone. De posse das informações, a polícia montou uma barreira na entrada da cidade e flagrou os acusados com os impressos na camionete.

“A Justiça vai decidir se o trio vai ficar preso em Parauapebas ou Curionópolis, e também se os acusados se inserem em crime eleitoral. Os proprietários da gráfica onde o material foi impresso vão responder também pelo crime dos três acusados”, explica a autoridade.

Mesmo procurados com insistência, o advogado de defesa e os acusados não quiseram falar à Imprensa. O conteúdo do panfleto também não foi divulgado ao batalhão de repórteres que se encontrava na delegacia. Já o DEM, partido ao qual pertence Adonai, divulgou que está apurando os fatos, que está prestando assistência ao seu filiado, mas que este sofrerá sanções caso seja realmente culpado dos crimes de que é acusado.

fonte: Correio do Tocantins

Nenhum comentário: