4 de jan de 2012

Cenas do cotidiano, parte 1

Esse mundo tão tão informal me irrita.
É um excesso de informalidade hoje em dia, parece que tudo pode.
A gente vai viajar, perde um tempo danado olhando roteiros, pacotes, passagens, passeios. Quebra a cabeça imaginando como vai pagar, em quantas zilhões de vezes, por qual cartão.
Se prepara, fica imaginando como vai ser, onde vai ir, que show vai conferir, que pirâmide ou estátua vai fotografar.
A gente lê as revistas de viagens, compra guia, cai de boca no Google, sai perguntando para os amigos e conhecidos alguma dica.
Ou seja, tem um trabalhão danado.
Mas aí chega o tal dia de viajar e o martírio começa.
No mundo moderno, cada um se veste como quer, da forma que quer, para ir a onde deseja ir.
Homens por exemplo adoram viajar de bermuda. Um horror aquela perna peluda se esfregando na nossa. As poltronas cada dia mais reduzidas ajudam com que a perna do camarada fique o mais grudada possível na nossa.
Pô meu, vai colocar uma calça!!!,!
Outra mania é o telefone celular. Tá certo que é uma maravilha, mas o cidadão adora ficar com ele ligado o tempo todo, e vai falando na hora do check in, na hora da máquina de raio X, na fila de embarque, no avião vai falando como se estivesse na casa de sua querida mãe Joana, até que depois de suplicar dez vezes a aeromoça quase arranca o aparelho do cara. E mesmo assim, fazendo a gente escutar por um tempão seu papo furado, ele ainda fica com cara feia.
Celular é um quesito a parte, um dia alguém há de fazer um estudo da humanidade e de sua convivência com o aparelhinho.
Mas o celular hoje não serve apenas para a gente falar, ele fotografa, ele toca música, com ele a gente até fala com outras pessoas!
E a música precisa ser compartilhada? Tenha dó, tem gente que não se manca mesmo, desde quando eu quero ouvir a última do Exaltasamba ???
Será que a humanidade não entendeu ainda pra que serve o fone de ouvido? Ou é preciso desenhar?
No avião tem gente que leva de tudo, cobertor, edredon, travesseiro, água, coca, coxinha.
Coxinha???
Levam, pode crer, coxinha ou algo semelhante, com o semelhante cheiro que vai se espalhando pelo ambiente como uma nuvem de gafanhotos.
É o fim.
Por falar em cheiro....
Pode crer, tem gente que acha que a gente é obrigado a dividir isso, essa mais íntima manifestação humana. BANHEIRO serve pra isso gente!!!!,
E as mulheres?
O que é que elas levam naquelas bolsas e-nor-mes? Um poodle?
E a dita cuja vai batendo de ombro em ombro, atacando a fila indiana sem dó nem piedade com sua arma brutal.
Mulher também exagera, e como. Elas são especialistas em exagerar.
Vão viajar de qualquer forma. Tem aquelas com casacos de pele ainda no embarque no Brasil, antes da gente chegar na Patagônia. Outras de barriga de fora, mas não aquela barriga tanquinho, linda e lisinha . Mais quando, quem dera!
É cada bucho a mostra.....
Agora parece que virou moda, ninguém coloca uma camisa, uma calça, um vestido até o joelho ou um conjuntinho básico para viajar, o povo vai mesmo com barrigas de fora, pernas peludas de fora, pés com unhas de fora, um horror.
É por isso que eu digo, um pouco de formalidade ajuda, a conviver e a agüentar estar em um espaço com um monte de gente que a gente não conhece. Antes que o avião desça, que o povo se levante antes do bicho parar, que liguem celulares antes de poder e antes de nos atropelarem na escada rolante ou arrancarem nossa unha do pé puxando delicadamente a mala da esteira.
Tudo isso pra chegar ao oásis desejado e aguardado ansiosamente.
E que na maioria das vezes nem é lá essas coisas.
Mas essa é outra história.

5 comentários:

Anônimo disse...

Meu amigo, tem gente que não se manca ou tem os bagos que não cabem entre as pernas pois sentam com as pernas abertas invandindo o espaço da pessoa ao lado, além do incômodo do contato. Só pode ser tarados ou fescos mesmo.

Anônimo disse...

Hey Bacana, pare com esse seu piti de mauricinho. O pobre também tem o mesmo direito de viajar, o que não acontecia antes, por isso a maioria andava emplumado nos vôos. Não está satisfeito? Deixe de andar de GOL ou então compre o seu jato.

Anônimo disse...

classe c!!

Anônimo disse...

Um texto repleto de preconceitos e racismo vc esta ficando pior a cada dia.

Anônimo disse...

Basta voar de primeira classe que nela isso deixa de ser um "horror" , e passa a ser charme. Pior mesmo, sao os caras que viajam de terno e todos emperiquitados, querendo dar-se um ar de "importancia".
O cara que esta acostumado a rotinas internacionais de viajar, carrega pouquissimo e prefere o "Low Profile" do que o famoso ," Oia nos aqui indo pras Zoropa".
A outra forma , alem dessa, seria comprar seu proprio Jatinho, conforme dito pelo anonimo.
Have a nice trip.