26 de mar de 2012

Jogos do Ver-o-Peso valorizam trabalhadores da maior feira livre da América latina



Aline Paes e Cristiane Paiva Fotos: Elivaldo Pamplona


Em um espaço de 35 mil metros quadrados o Ver-o-Peso reúne cores, cheiros, sabores e um incontável número de histórias. Relatos de vidas construídas ou modificadas a partir do trabalho na feira símbolo da capital paraense. Histórias como a de dona Benedita Soares, vinda do interior na esperança de deixar para trás uma condição de miséria e que encontrou no Ver-o-Peso a oportunidade que precisava. “Trabalho aqui há 27 anos. Foi onde conquistei uma vida melhor”.
A maior feira livre fixa da América Latina concentra em um só ponto de Belém,todos os produtos representativos da cultura paraense. São mais de 3.500 feirantes comercializando artesanato, frutas regionais, artigos religiosos,ervas medicinais, banhos, peixe, entre muitos outros produtos.
Na manhã deste domingo, 25, os feirantes participaram da 3ª edição dos Jogos do Ver-o-Peso, ponto alto das comemorações pelos 385 anos do principal ponto turístico da cidade,promovidas pela Prefeitura Municipal de Belém.
O casal Lene Monteiro e Luiz Gillet, que frequenta o espaço regularmente, ficou surpreso com a programação. “É a primeira vez que assistimos, as provas são realmente inusitadas. Achamos maravilhosa a iniciativa de incentivar as atividades desenvolvidas no Ver-o-Peso”, elogiou Lene.
A gincana anual tem o objetivo de valorizar o trabalho de quem tira do Ver-o-Peso o sustento próprio e o da família. As provas foram projetadas com base nos ofícios desempenhados no complexo, como pescar; descamar e limpar peixes; descascar castanha e mandioca; despolpar cupuaçu; colher açaí e preparar pratos com ingredientes regionais.
O titular da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, Francileno Mendes, diz que além da valorização dos trabalhadores, os jogos tem a intenção de promover a interação entre eles e divulgar o mercado mundialmente. “A ideia é promover uma competição saudável, que incentive e oportunize a interação durante as brincadeiras e recreações além, é claro, de mostrar ao mundo suas histórias e a peculiaridade do lugar de onde tiram o seu sustento”.
A prova mais esperada do dia foi a do açaí, em que cada dupla participante realiza a travessia de Belém de barquinho até a Ilha do Combú para colher o fruto diretamente do açaizeiro, debulhar a maior quantidade possível e retornar ao Ver-o-Peso para a pesagem dos cestos. A agilidade dos participantes empolgou o público que pôde acompanhar passo a passo a prova, em embarcações disponibilizadas para a população pela Prefeitura de Belém,por meio da Sejel. Foi assim que puderam assistir a vitória da dupla Amarilson e Victor, pai e filho, da equipe Açaí. Eles coletaram 21,470 quilos da fruta.
A grande novidade este ano foi a eleição de uma representante de cada equipe para o concurso de Miss Ver-o-Peso, que teve como grande campeã Irene Cheirosinha,de 57 anos, da equipe Castanha do Pará.Segundo ela, a sensação de ter participado e ter levado a faixa de Miss Ver-o-Peso é única. “É maravilhoso o que estou vivendo, porque o Ver-o-Peso para mim é um lugar de felicidade e paz. É daqui que eu sobrevivo e daqui que vem a minha alegria. Essa é mais uma!”, comemora a feirante que há 42 anos trabalha no Ver-o-Peso.
Renomados donos de restaurantes e chefs de cozinha foram convidados pela Prefeitura para compor a mesa de jurados da prova pratos regionais. Eles levaram em consideração o sabor e aparência dos alimentos apresentados. Entre os degustadores estava o proprietário do restaurante Piracatú, Manoel Rodrigues,que é bicampeão paraense e vice-campeão brasileiro em concursos relacionados à culinária típica do Estado. Para ele a programação é mais uma oportunidade para divulgação dos ingredientes e pratos exóticos do Pará.
Para Altino Barra, do restaurante Tucunaré, de Limoeiro do Ajurú, o evento foi importante por apresentar ao público e aos próprios avaliadores, receitas ainda não conhecidas e uma variedade de formas de aproveitamento de ingredientes regionais.
Pirarucú no vinagreiro, moqueca de pescada amarela, filhote à paraense, bacalhau, arroz paraense ao creme de pupunha e vatapá foram os pratos apresentados pelas equipes.O grande vencedor, apesar de já comum na mesa do paraense, foi o Vatapá, com sabor e toque diferenciado dado por Dona Osvaldina Pereira, da equipe Castanha do Pará, que possui um box de comidas regionais no local.
Idealizador dos Jogos do Ver-o-Peso, o ex-secretário de Esporte e Lazer de Belém, Saulo Costa, comemora a evolução do evento nestes três anos. “A cada ano os jogos vão engrandecendo e divulgando ainda mais o Mercado do Ver-o-Peso”, destaca.
PROGRAMAÇÃO – As comemorações prosseguem até o dia 27 de março, terça-feira, data do aniversário. Nesta segunda-feira, 26, os trabalhadores do Ver-o-Peso receberão uma ação de cidadania com a emissão de Carteira de Meia Passagem e de Gratuidade para Idosos, emissão de Carteira de Saúde e de Manipulação de Alimentos, além de inscrições para cursos oferecidos através do Fundo Ver-o-Sol. Na terça-feira, 27, além das carteiras emitidas pela CTBel, será disponibilizada Carteira de Trabalho. Haverá a lavagem da pedra pelas erveiras, benção ecumênica e o tradicional parabéns com direito a bolo de 10 metros.

3 comentários:

Anônimo disse...

ARRASOU NA MATÉRIA!

Mário Costa disse...

Texto perfeito!

Anônimo disse...

Adorei a matéria. Parabéns as jornalistas Cristiane Paiva e Aline Paes.