29 de mar de 2012

Ludwig van Beethoven no Theatro da Paz


A Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP) apresenta, neste primeiro semestre de 2012, uma série de concertos do compositor alemão Ludwig van Beethoven. Nesta quinta-feira (29), haverá a segunda apresentação do ciclo, no Theatro da Paz, a partir das 20h. No programa estão obras como “Leonore I” e “Fidelio”. A entrada é gratuita.

Durante o “Ciclo de Beethoven”, a OSTP e o maestro Miguel Campos Neto, titular da orquestra, convidam músicos renomados para participar do espetáculo como solistas. Na apresentação que inaugurou o ciclo, o convidado foi o spalla (primeiro violinista) da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Emmanuele Baldini. Agora, a solista convidada é a pianista e musicóloga Helena Elias. Radicada na França, é licenciada em Língua e Literatura Francesa pela Universidade Federal do Pará e concluiu, em 1996, Doutorado em Musicologia na Universidade Sorbonne Paris IV. Atualmente, Helena Elias trabalha como pesquisadora no Observatório Musical Francês.

O programa desta quinta-feira contempla as obras “Leonore I (op. 138)”, “Fidelio”, abertura em mi maior (op. 72), “Concerto para piano nº 1 em dó maior” (op. 15), Allegro com brio e Rondo (Allegro scherzando). Esta é a primeira vez que Helena Elias se apresenta ao lado da OSTP. Segundo a pianista, o concerto vai ser muito agradável. “É muito bom ver que o Theatro da Paz tem uma orquestra desse nível. Os músicos são muito bons e o maestro Miguel Campos Neto também. E foi um prazer maior ainda ter sido convidada, porque o concerto é em homenagem a Benedito Nunes, que foi meu professor de Filosofia e amigo pessoal”, revela Helena. Além de ser um dos maiores nomes da música clássica, Beethoven foi escolhido para a temporada de 2012 da OSTP por ser o compositor preferido de Benedito Nunes, homenageado pelos músicos, quando se completa um ano de falecimento do filósofo paraense.

Segundo a musicóloga, a cadência (momento em que a orquestra para de tocar e o pianista realiza seu solo) que ela vai interpretar no concerto é uma das mais complexas já escritas pelo compositor alemão. “Essa cadência talvez seja uma das mais difíceis que Beethoven escreveu. Representa sua última fase. Eu optei por interpretá-la porque sei que era uma das preferidas de 'Bené' (Benedito Nunes) e porque esse concerto é absolutamente clássico e tem uma linguagem bastante evoluída”, comenta Helena Elias.

Além da forte influência como compositor, Beethoven também teve grande importância na área humanística. Ele foi o responsável pela aproximação do púbico com a música clássica. De acordo com o maestro Miguel Campos Neto, Beethoven transportava para música, sentimentos muito pessoais. “Algumas de suas obras são autobiográficas. O público passou a ver nele uma pessoa mais acessível, com sentimentos em comum com os outros. E é muito curioso que um filósofo tenha justamente esse compositor como seu preferido”, disse.

O “Ciclo de Beethoven” é a oportunidade de se conhecer o trabalho de um dos maiores compositores do mundo e de acompanhar a homenagem a Benedito Nunes, um dos grandes pensadores que o Pará já teve. Para Helena Elias, o que falta para o brasileiro se apaixonar definitivamente pela música erudita é apenas o conhecimento. “Esses concertos são muito importantes, porque as pessoas só podem gostar daquilo que elas conhecem. O povo brasileiro, musical como é, vai aderir à música clássica, mas primeiro ele tem que conhecê-la. E esse concerto já nasce especial. É uma homenagem com artistas paraenses para paraenses de todas as gerações”, avaliou.

Serviço: Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz apresenta “Ciclo Beethoven”, com a pianista Helena Elias, sob a regência de Miguel Campos Neto. Quinta-feira, 29, às 20h, no Theatro da Paz. Entrada gratuita. (Agência Pará)

Nenhum comentário: