11 de dez de 2011

Sobre o plebiscito e nossa escolha

O plebiscito é a forma mais democrática de escolher se o estado vai ficar do tamanho que esta ou será dividido.
Conheço esse estado bem, ou pelo menos razoavelmente bem.
Sei das dificuldades do Sul e sudeste e do baixo Amazonas.
Mas também sei das dificuldades do Marajó e da região metropolitana.
Se vou votar no sim ou no não?
Bom, aqui nesse espaço jamais me manifestei, afinal o voto é secreto e esse blog não é tribuna seja lá de que lado for.
Além do mais, quem sou eu para dizer se você deve votar assim ou assado?
Não, essa não é minha função.
Dos dois lados já há gente suficiente para tentar convence- ló a votar.
E no fundo, acho que os dois lados tem razões, tanto as que justificam a separação como as que justificam a união.
Por isso sempre nos mantivemos neutro, já tem políticos, publicitários, jornalistas, cozinheiras, garís e pescadores suficientes se manifestando, e se fazem isso é porque acham que devem.
Aqui nesse blog achamos durante a campanha que o que deveríamos era informar os bastidores das duas campanhas, e foi o que fizemos.
Mas você deve votar.
Para exercer a sua cidadania, para mostrar a sua opinião, para fazer parte dessa escolha.
O estado do Pará é grande, rico mas cheio de problemas, problemas que vem de longe, históricos por conta de políticas publicas equivocadas, de migrações desordenadas, de injustiças jurídicas e de falta de união de seus políticos para lutarem pelas causas de interesse do Estado.
Dizer que o Estado não chega ao baixo Amazonas ou a região Sul e sudeste porque não pode?
Pura graça.
Mas muitas vezes não chega ali no Jurunas....
Cada qual, no dia de hoje, deve votar conforme sua consciência, conforme o que julga melhor para sua região, sua cidade, seu estado.
E todos tem suas razoes, o pessoal do Sim e do Não.
É por isso que é tão difícil escolher.
Bom voto e que os políticos dessa terra aprendam alguma coisa com o plebiscito, seja qual for o resultado.
E verdade seja dita, independente do resultado, todas as razões de vencedores ou derrotados são absolutamente legítimas, e não há propaganda que possa mudar isso.

3 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela postagem. Você mostrou-se imparcial, mas critico dos problemas que o povo do Pará tem.
Marlon

Anônimo disse...

Inclusive quanto às fezes?

ZéFerino disse...

Tá com medo, cumpadre?