21 de mar de 2012

BRT, 18 meses para ficar pronto


Fonte: Diário do Pará
Uma faixa e meia. Essa é a extensão de pista disponível para os motoristas que transitam em trechos das avenidas Augusto Montenegro e Almirante Barroso desde a manhã de ontem, quando foi iniciada mais uma etapa das obras de implantação do BRT (Bus Rapid Transit). Centrada na implementação de canaletas no lugar onde, hoje, estão localizados os canteiros centrais das avenidas, as obras reduzirão as pistas não apenas durante sua realização, mas também, quando forem concluídas.
De acordo com o secretário municipal de Saneamento, Ivan Santos, com o início das obras, as pistas precisarão ser reduzidas já para o tamanho em que ficarão quando o projeto - que prevê um transporte público mais rápido - ficar pronto. “Toda essa parte do canteiro será retirada e alargada com a colocação dessas canaletas. É como se fossem construídas lajes, umas placas de concreto por onde os ônibus serão conduzidos. Eles vão andar em cima dessas canaletas”, explicou. “Essa uma pista e meia que vai ficar por conta das obras é o que vai ser a pista quando o projeto ficar pronto”.
Inicialmente, as modificações nos canteiros centrais das avenidas se concentrarão apenas em dois trechos. Na Almirante Barroso, a obra será realizada no perímetro que vai da avenida Tavares Bastos até a Júlio César, e na avenida Augusto Montenegro, o serviço será realizado a partir da Rua da Marinha até a Rua do Una. “Essa fase do projeto é a base de tudo. As obras são todas integradas e serão concluídas ao final dos dezoito meses”, garante o secretário. “É como se fosse um jogo de dominó, os módulos vão sendo colocados nesse trecho e, quando terminar aqui, vai seguindo ao longo das avenidas. Serão construídas simultaneamente”.
Com isso, as obras para a implantação do projeto, segundo o secretário, ficarão concentradas em três pontos. O terceiro deles é o Entroncamento, onde devem ser construídos dois elevados. “O que fizemos até agora no Entroncamento servirá de ponto de apoio. Foram prospecções para que fosse feito o trabalho anterior”, diz Ivan Santos.


2 comentários:

Davi Batalha disse...

Parece que a polêmica em torno do BRT tem sido superada pelo bom senso, pois a percepção é a de que o problema do trânsito será resolvido o quanto antes, na medida em que as obras do BRT avançam. A oposição não ousou repelir o projeto, apenas impedir que Duciomar o fizesse - porém, suas prerrogativas constitucionais e financeiras desesperam o governo estadual que, apesar de bem avaliado, tem em seu candidato à prefeitura a figura da derrota. Noutra ponta do novelo, Duciomar vem se cacifando para eleger seu sucessor ao tranformar Belém em um canteiro de obras e retornar triunfalmente ao Senado ou se pavimentar rumo ao Palácio dos Despachos. Grande parte da obra do BRT será entregue ainda este ano e servirá como propaganda ambulante da marca da administração de Dudu, que certamente ampliará sua aprovação de 64,9%. Quem ganha é Belém. Adios, Bacana...

Célio Ramos disse...

Esse maluco do desprefeito é um artista.
Ele sabe que não tem uma moedinha para fazer a obra,mas monta essa palhaçada toda,de encher de tapumes (vide entroncamento),para atazanar mais a vida da população e provocar a ira do MP para que seja concedida liminar proibindo a obra e o infeliz vai dizer pela mídia que ele "trabalha" e o Jatene é o culpado.
Esse infeliz é um louco e ladrão.